24/06/2020 às 18h13min - Atualizada em 24/06/2020 às 18h13min

Africanos são presos com carro de luxo e drogas avaliadas em R$ 8 milhões

Secom
Erlon Rodrigues/PC-AM

Ao longo da tarde de terça-feira (23/06), policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (DERFV) deflagraram uma ação policial que culminou na prisão, em flagrante, do nigeriano Daniel Chinedu Dickson, de 42 anos, e do sul-africano Okolie Goodwill Eze, 49. Com eles, foram apreendidos um carro de luxo e pacotes de cocaína líquida, avaliadas em R$ 8 milhões. Os dois são apontados como integrantes de um grupo criminoso que comandava uma rede intercontinental de tráfico de drogas.

 

Sob o comando do secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louismar Bonates; da delegada-geral e do delegado-geral adjunto da Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), respectivamente, Emília Ferraz e Tarson Yuri Soares; e coordenação do delegado Cícero Túlio, titular da DERFV, as prisões dos infratores ocorreram em dois pontos distintos do bairro Flores, na zona centro-sul de Manaus.

 

O secretário da SSP-AM, coronel Louismar Bonates, explicou que o grupo criminoso articulava um esquema no qual carros de luxo roubados na capital eram trocados por drogas e veículos de menor porte, que retornavam à capital transportando insumos de cocaína líquida oriunda da Colômbia. “Essas negociações ocorriam nas cidades de Tabatinga e de Leticia, na Colômbia. Era justamente nesta região onde a cocaína líquida era obtida”, informa Bonates.

 

De acordo com o delegado-geral adjunto, Tarson Yuri Soares, dando andamento ao esquema, as substâncias ilícitas eram trazidas para um laboratório de drogas, no mesmo bairro em que os infratores foram presos. “Nesse local, a cocaína líquida era refinada e acondicionada em revistas e em imagens sacras para, posteriormente, ser enviada, por meio de mulas, a países da Europa e da África”, explica o delegado-geral adjunto.

Conforme o titular da DERFV, delegado Cícero Túlio, o nigeriano Daniel era responsável por fazer os contatos e planejar a logística do material entorpecente, em Tabatinga (distante 1.108 quilômetros em linha reta da capital) e na Colômbia. Já o sul-africano Okolie era responsável por fazer o acondicionamento da droga nas revistas e imagens sacras para serem entregues às mulas.

“Cada revista, ao chegar a destinos como Holanda, Espanha e outros países dos continentes europeu e africano, rendia cerca de R$ 100 mil ao grupo. Além do mais, as investigações apontam que o bando utilizava empresas de Manaus para efetuar lavagem de dinheiro. Por isso, as diligências em torno do caso seguem em andamento, a fim de averiguar essas empresas, bem como a identidade de demais indivíduos que integram o grupo”, afirma Túlio.

Apreensão – No momento da ação policial, as equipes da DERFV apreenderam uma carga contendo entorpecentes que entraria na rede de tráfico de drogas intercontinental. O material está avaliado em, aproximadamente, R$ 8 milhões. Além disso, os policiais civis apreenderam um veículo da montadora Hynduai, modelo Creta, que estava em posse da dupla.

 

Procedimentos – Daniel e Okolie foram autuados em flagrante por tráfico de drogas. Após os procedimentos na unidade policial, eles serão encaminhados para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde deverão passar por audiência de custódia via videoconferência.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »