03/04/2020 às 12h22min - Atualizada em 03/04/2020 às 12h22min

Alberto Neto sugere convênio com empresas para fabricação de EPIs dentro dos presídios do Amazonas

Deputado defende que o uso da mão de obra carcerária é um meio de evitar a falta de materiais essenciais no combate ao covid-19

Foto: Reprodução
Como presidente da frente parlamentar que discute melhorias para o sistema penitenciário brasileiro no Congresso, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos/AM) tem estudado medidas que possam colaborar com o combate ao Covid-19 dentro e fora das unidades prisionais. O parlamentar enviou ao governador do Amazonas, Wilson Lima, um documento sugerindo a assinatura de convênio com a iniciativa privada para produção de EPIs por detentos.
 
“As unidades de saúde têm necessidade cada vez maior de materiais descartáveis como máscaras, luvas e toucas, produtos que podem ser fabricados dentro dos presídios onde já existe um trabalho de ressocialização sendo desenvolvido, tem mão de obra dos detentos e para eles será uma oportunidade de serem úteis à sociedade”, disse.
 
A parceria entre empresas privadas e o governo estadual é uma realidade. Na última quinta-feira (27), a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) anunciou a doação de 20 máquinas de costura oriundas da Federação da Indústria do Estado do Amazonas (Fieam), destinadas ao sistema prisional, onde está sendo confeccionado materiais de proteção contra o novo coronavírus.
 
“Temos a oportunidade de começar produção em larga escala para que não falte EPIs nas unidades básicas de saúde e nos hospitais onde estão sendo atendidos pacientes com suspeita e com diagnóstico de coronavírus, além das delegacias, batalhões de polícia militar, unidades de pronto atendimento, repartições públicas de serviços essenciais, enfim, diversos lugares onde a população precisa de máscaras e luvas”, explicou.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »