01/04/2020 às 15h01min - Atualizada em 02/04/2020 às 00h06min

A proibição do plástico no Brasil e no mundo

À medida que o mundo, de forma branda, desperta para o problema da poluição plástica, um número crescente de países e cidades tem introduzido proibições de objetos de uso único.

DINO
https://www.ekological.com.br/
Copos plásticos


Após danos causados pela humanidade, alguns irreparáveis, a preocupação com a sustentabilidade e as devastações ao planeta está ganhando cada vez mais espaço. À medida que o mundo, de forma branda, desperta para o problema da poluição plástica, um número crescente de países e cidades tem introduzido proibições de objetos de uso único.


Atualmente, a poluição causada pelo descarte de objetos plásticos é considerada um dos grandes desafios contemporâneos. Devido ao tempo que este material leva para se decompor no meio ambiente, até mais de 400 anos, e os danos que causa aos ecossistemas e seres vivos, medidas de proibição para o uso do plástico foram adotadas no Brasil e no mundo.


A geração de lixo pela sociedade civil, empresas e indústrias traz impacto significativo para o planeta. Dados divulgados, em 2019, pela Agência Brasil, revelam a contribuição nacional de lixo por ano, sendo 79 milhões de toneladas de resíduos sólidos, tornando o país campeão na América Latina com 40% da produção total.


O terrível plástico


O longo tempo de durabilidade do plástico e a alta quantidade produzida por ano, evidência um grande problema social - incapacidade mundial de lidar com o lixo produzido. Essa fatalidade direciona para a falta de infraestrutura dos aterros sanitários que recebem as toneladas de resíduos.


A produção de itens plásticos exige maior extração de petróleo, cuja prática, em conjunto com o refinamento, é altamente poluente para o meio ambiente, sendo um dos incentivos para mudanças no consumo desde material e assim contribuir, também, com o movimento de redução do uso de combustíveis fósseis.


Atualmente, estima-se que há mais de 150 milhões de toneladas de material plástico presente nos oceanos, afetando consideravelmente o ecossistema. Contudo, a destruição do lixo não chega apenas nos mares, mas sim em diversos outros ambientes. Um problema que não é visto com frequência, se não pelas catástrofes ocasionais.


Identificado o grave problema ambiental, governos de países por todo mundo, entre eles o Brasil, estão implementando medidas acerca da proibição do plástico de uso único - embalagem descartada após ser utilizada uma única vez, como canudos, copos, talheres, sacolas plásticas, cotonetes, entre outros.


No Brasil


Algumas cidades brasileiras incorporaram ações para a diminuição de plásticos de uso único em suas legislações. No Estado de São Paulo, assim como no Rio de Janeiro, foi estabelecido a proibição de canudos. Já na capital paulista, essa ordem abrange também copos, talheres e pratos do mesmo material.


Em munícipios como Arraial do Cabo, Jericoacoara, Cabo Frio e no Estado de Goiânia é proibido utilizar material plástico na orla das cidades ou até mesmo fornecer canudos em estabelecimentos. Além disso, algumas multinacionais do ramo Fast Food optaram por não comercializar objetos plásticos em suas unidades.


No Mundo


Canadá

Em 2021, a proibição do plástico de uso único entra em vigor no Canadá, englobando garrafas e sacolas. Atualmente, o país estima que utiliza cerca de 15 bilhões de bolsas plásticas por ano e 57 milhões de canudos por dia.


União Europeia


A União Europeia, uma das regiões com maior geração de lixo no mundo devido à falta de ambientes adequados para descarte, aprovou a lei que bane, a partir de 2021, todos os plásticos com uso único. Até 2029, o bloco econômico também precisa atingir a meta de recolhimento de garrafas plásticas em até 90% e, assim, reciclar 30% até 2030. Foi estabelecido que os responsáveis pela produção deverão arcar com os custos envolvidos neste processo.


China


A China anunciou em janeiro desde ano um plano de banimento dos descartáveis no país até 2025. A resolução visa, além da utilização do plástico único, a proibição da fabricação dos materiais e também dos sacos plásticos, em todas as cidades, até o final de 2020.


Tanzânia


Na Tanzânia as leis sobre o uso do plástico são bastante rígidas. Cidadãos que fabricar, comercializar ou utilizar sacolas plásticas poderão ser detidos por dois anos ou receber uma multa de, aproximadamente, R$ 1,5 milhão.


Reino Unido


O Reino Unido, por sua vez, iniciou a conscientização em 2018, ao proibir a venda de canudos, mexedores de bebidas e cotonetes plásticos.


Austrália


A Austrália, pioneira em redução no uso de plástico, diminuiu o uso de sacolas em 80% no período de três meses, realizando mudanças na sociedade civil, empresas e governos.


Mudanças Ecológicas


As ações sustentáveis adotadas pelos mais diversos países revelam a preocupação mundial com o futuro do planeta e a esperança em desfazer os danos já causados ao meio ambiente. Individualmente, em lares e empresas, cada pessoa pode incorporar soluções ecológicas em sua rotina.


O plástico de uso único possui substitutos que podem ser aplicados em todas as áreas, como exemplo, canudos de aço inox , o copo descartável pela sua versão em silicone e o mesmo pode ser aplicado com garrafas plásticas. A sustentabilidade é acessível a todos - desde grandes organizações, governos a comunidades e famílias.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »