16/03/2020 às 10h39min - Atualizada em 16/03/2020 às 10h39min

Japão condena à morte assassino de 19 pessoas com deficiência

Homem entrou em casa de cuidados enquanto vítimas dormiam e as esfaqueou, em 2016...

R7
Foto: Reprodução
O japonês Satoshi Uematsu, acusado de matar 19 pessoas portadoras de deficiência física em uma casa de cuidados no Japão em 2016, foi condenado à morte nesta segunda-feira (16).

Ele esfaqueou as vítimas, que tinham entre 19 e 70 anos de idade, depois de dizer que aqueles que não conseguiam se comunicar não mereciam direitos humanos, segundo a BBC. Ele tinha trabalhado no local antes do ataque.

Segundo a BBC, Uematsu disse em entrevista ao jornal japonês Mainich Shimbun disse que ele cometeu o crime “em favor da sociedade”.

A Corte do Distrito de Yokohama ordenou que ele fosse enforcado. Uematsu disse que não vai recorrer da sentença.

O julgamento

O julgamento começou no começo deste ano e o homem não desmentiu que atacou as vítimas, ainda que os advogados de defesa alegassem que ele era doente. A base da argumentação era que Uematsu tinha problemas mentais e havia usado maconha em excesso durante o ataque.

“Ele estava em uma condição na qual ele não tinha capacidade de ser responsabilizado ou tal capacidade foi significativamente reduzida”, disse a defesa, segundo a BBC.

De fato, havia resquícios de maconha no sangue do acusado depois do ataque.
Ainda assim, a acusação argumentou que o homem estava mentalmente competente e que o ataque foi “desumano”.

O crime abriu um debate sobre como o Japão trata pessoas com deficiência e a maioria das famílias das vítimas não revelou a identidade das vítimas, já que não queriam admitir publicamente que tinham parentes portadores de deficiência.

A mãe de uma das vítimas, uma jovem de 19 anos chamada Miho, concordou em prestar depoimento e pediu a pena máxima para Uematsu.

“Mesmo a maior sentença é pouca para você”, disse, segundo a NHK. “Eu nunca vou te perdoar”.

Um dos piores massacres no Japão


Foto: Reprodução

O ataque aconteceu na casa de cuidados Tsukui Yamayuri-en, perto de Tokyo, em julho de 2016. Uematsu já havia trabalhado por ali, então conhecia o local e conseguiu entrar munido de várias facas por uma janela.

Ele foi de quarto em quarto esfaqueando as vítimas, que estavam dormindo. 19 pessoas morreram e outras 25 foram feridas, sendo 20 em estado grave. O local tinha 150 pacientes e nove membros da equipe estavam trabalhando na hora do ataque.

Depois do ataque, ele se entregou a polícia.

Mais tarde foi anunciado que ele havia entregado uma carta ao parlamento japonês dizendo que mataria 470 pessoas com graves deficiências se tivesse autorização e disse que queria que o Japão permitisse a eutanásia nestes casos.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »