27/12/2019 às 08h13min - Atualizada em 27/12/2019 às 08h13min

Avião com cerca de 100 pessoas cai no Cazaquistão

Mais de 90 passageiros e 5 tripulantes estavam a bordo da aeronave que caiu em Almaty, maior cidade do país.

G1
Reuters
Um avião com mais de 90 passageiros e 5 tripulantes caiu no Cazaquistão nesta sexta-feira (27) e deixou 12 mortos. Autoridades chegaram a dizer que ao menos 15 pessoas tinham morrido, segundo a agência de notícias Reuters, mas corrigiram a informação depois. Ainda não está claro o que provocou a queda. A suspeita é que tenha havido falha nos procedimentos de segurança antes do voo.

O acidente aconteceu logo após a decolagem, às 7h da manhã do horário local (22h de quinta-feira em Brasília). A aeronave perdeu altitude, atravessou um muro de concreto e atingiu uma casa de dois andares.

Ao menos 66 pessoas foram levados a hospitais, sendo 17 "internados em estado extremamente grave", segundo a prefeitura de Almaty. Equipes de socorro atuam no local.


Um voo da Bek Air saindo da capital do Cazaquistão em 2018 (foto de arquivo)
Getty Images


O avião decolou de Almaty, a maior cidade do país, com destino a Nursultan, a capital.

A aeronave é uma Fokker 100 e pertence à empresa Bek Air.


Imagens publicadas pelo comitê de Situações de Emergência mostraram o avião dividido em duas partes, com a frente em uma casa parcialmente destruída.

O ministério do interior do país abriu uma investigação sobre a causa do acidente e já considera que houve falha nas regras de segurança antes do voo.


Em mensagem publicada em uma rede social, o presidente Kassym-Jomart Tokayev declarou que "os responsáveis serão castigados severamente, de acordo com a lei".

"Antes de cair, a aeronave tocou a pista com a cauda duas vezes, o trem de pouso estava recolhido", disse o vice-primeiro-ministro, Roman Sklyar, a repórteres, segundo a Reuters.


Fotos: Reuters

Uma sobrevivente disse ao site de notícias Tengrinews que ouviu um "som aterrorizante" antes de o avião começar a perder altitude.

"O avião estava voando inclinado. Tudo era como um filme: berros, gritos, pessoas chorando", contou.



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »