18/12/2019 às 14h35min - Atualizada em 19/12/2019 às 00h00min

Densitometria óssea pós bariátrica: a importância do exame

Para os pacientes que são submetidos à cirurgia bariátrica, o exame de densitometria óssea é o mais indicado para o acompanhamento da densidade mineral dos ossos no pós-operatório

DINO
http://www.imeb.com.br


Tem crescido nas últimas décadas o número de cirurgias bariátricas no Brasil. Dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM) mostram um aumento de mais de 80% de cirurgias realizadas no Brasil, entre 2001 e 2018, chegando a mais de 63 mil cirurgias só no último ano.

O país já é o segundo do mundo com o maior número de cirurgias bariátricas realizadas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

Para os pacientes que são submetidos à cirurgia bariátrica, fazer o exame de densitometria óssea é fundamental para o acompanhamento da densidade mineral óssea no pós-operatório. O motivo é que a cirurgia pode levar a uma perda significativa de massa óssea, sendo necessário o tratamento permanente para repor a densidade.

Entendendo a cirurgia bariátrica

A cirurgia bariátrica, ou gastroplastia, é um procedimento cirúrgico indicado para o tratamento de obesidade grave ou mórbida, quando não se obteve o resultado desejado com o tratamento clínico.

No Brasil, o tipo de cirurgia mais comum é o by-pass gástrico — ela corresponde a 75% das cirurgias bariátricas realizadas no país. O procedimento faz com que o paciente diminua a ingestão de alimentos, além de aumentar o nível de hormônios que dão sensação de saciedade.

Além do tratamento da obesidade mórbida, a cirurgia também pode ser indicada para doenças causadas ou agravadas pelo excesso de gordura corporal. É o caso, por exemplo, das doenças endócrinas, entre elas a diabetes, a hipercolesterolemia, a hiperuricemia e a hipertensão.

Qual a importância do exame de Densitometria Óssea pós bariátrica?

Embora a cirurgia bariátrica seja um procedimento eficaz e seguro para o tratamento da obesidade e de doenças correlacionadas, estudos mostraram que, em contrapartida, dependendo do tipo de cirurgia realizada, ela pode ocasionar uma redução da densidade mineral óssea do paciente, além de aumentar o risco de doenças osteometabólicas, em especial a osteoporose.

Isso acontece porque o corpo sofre limitações na sua ingestão e absorção natural de diferentes nutrientes, contribuindo para o enfraquecimento gradativo do esqueleto. É por essa razão que os pacientes bariátricos precisam iniciar um tratamento de suplementação nutricional com um endocrinologista, principalmente a base de vitaminas, cálcio, ferro e zinco.

Nesse sentido, o exame de densitometria óssea é indicado para o monitoramento da recomposição da densidade óssea, enquanto o paciente é submetido ao tratamento nutricional no pós-operatório.

Com esse acompanhamento, é possível diluir os riscos de perda de massa óssea e de suas possíveis consequências — desenvolvimento de osteoporose e fraturas subsequentes. Saiba mais sobre a eficácia da densitometria na prevenção da osteoporose neste artigo: Densitometria Óssea: o exame que detecta a osteoporose.

Como é realizado a Densitometria Óssea?

A Densitometria Óssea é um exame de imagem da Medicina Nuclear que serve para analisar o grau de redução da massa óssea, de forma precoce e precisa. Por meio de um aparelho que utiliza a técnica de DXA (Dual-Energy X-ray Absorptiometry), é possível avaliar a densidade mineral dos ossos e prevenir o surgimento da osteoporose e de fraturas decorrentes da perda de massa óssea.

Para os pacientes bariátricos, o exame mais indicado é a densitometria óssea de corpo inteiro (ou composição corporal por densitometria). O exame dura cerca de 15 minutos, utiliza-se uma quantidade mínima e segura de radiação, e serve para verificar a composição corporal do paciente (percentual de massa magra, gordura e densidade mineral óssea).

O exame é simples, seguro, e considerado o exame-padrão para a prevenção de doenças osteometabólicas.

Ainda que existam outros exames que também detectam a perda de massa óssea (como o Raio-X, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética), a densitometria é o procedimento com o melhor custo-benefício, além de ser vantajoso pela sua rapidez e simplicidade com que é realizado.

Sobre o IMEB – O Imeb (Imagens Médicas de Brasília) é uma das principais clínicas de Medicina Nuclear e Radiologia do Centro-Oeste e atua com excelência na área de diagnóstico por imagem. São onze unidades situadas em regiões estratégicas e de fácil acesso no Distrito Federal. Há 31 anos o Instituto é referência em qualidade no atendimento, certificado pela Norma ISO 9001:2008 e acreditado com excelência pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), que visam satisfazer as necessidades dos clientes e oferecer segurança na realização de exames e procedimentos

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »