08/08/2018 às 23h02min - Atualizada em 08/08/2018 às 23h02min

Filho de vereador disse a policiais que 'estava doidão' após atropelar cinco pessoas

Dheiverson estaria alcoolizado na ocasião. A informação consta da decisão proferida ao final da audiência de custódia, que ocorreu nesta terça-feira.

Reprodução Facebook
A Justiça manteve a prisão preventiva de Dheiverson Santos do Amorim Alves, de 24 anos. Ele foi capturado na madrugada do último domingo após atropelar cinco pessoas — quatro delas não resistiram aos ferimentos e morreram — em Guapimirim, na Baixada Fluminense. Ele tentava fugir da abordagem policial, de acordo com os relatos. Filho do vereador do município Nelcir do Amorim Alves, o Nelcir da Laje, o jovem alegou aos policiais que "estava doidão" ao ser questionado depois de ter atropelado as vítimas. Dheiverson estaria alcoolizado na ocasião. A informação consta da decisão proferida ao final da audiência de custódia, que ocorreu nesta terça-feira.

De acordo com o relato de testemunhas e de policiais, os militares perseguiram Dheiverson depois que ele foi flagrado ao trafegar pela contramão. Em seguida, viram o carro do jovem parado, já depois do acidente. Além dos atropelamentos, ele bateu em outros dois carros.

"Destaca-se que o custodiado ao ser flagrado pelos policiais e questionado acerca do ocorrido afirmou que ´estava doidão' " consta de um trecho da decisão da magistrada Monique Correa Brandao dos Santos Moreira.

 

"Verifica-se que a conduta do custodiado reveste-se de altíssima reprovabilidade e enseja um ambiente preocupante à paz social da localidade, considerando a sua embriaguez e, ainda, por estar trafegando pela contramão e em alta velocidade. Somados a isto, a EXTREMA GRAVIDADE do fato decorre diretamente das diversas vítimas que tiveram suas vidas ceifadas em consequência dos atos do custodiado", diz outra parte do texto.

Segundo a Polícia Civil, o filho do vereador dirigia pela contramão de uma das pistas da BR-116 quando se deparou com policiais militares em patrulhamento. Os agentes precisaram desviar do veículo de Dheiverson e, em seguida, iniciaram uma perseguição.

Ao fugir da abordagem, na altura do bairro Citrolândia, ele acabou batendo em outro carro e em um caminhão. Em seguida, invadiu uma loja. Ele foi autuado pela Polícia Civil por homicídio doloso naquela ocasião.

No atropelamento morreram Marla Oliveira de Azevedo Rocha, Ailton de Oliveira, Uliane de Azevedo Ramos e Marcelo Moreira de Souza. Uma quinta vítima — Sara Antonella de Azevedo Rocha, de 13 anos — sobreviveu. Ela foi levada para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes. Seu estado de saúde é estável.

Extra

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »