05/05/2019 às 21h18min - Atualizada em 05/05/2019 às 21h18min

Alberto Neto defende militares em audiência pública no Ceará

Alberto Neto explicou aos outros parlamentares as reais condições de trabalho do policial e do bombeiro militar...

Divulgação
Durante uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Ceará, em Fortaleza, o deputado federal Capitão Alberto Neto (PRB/AM) disse que, apesar de exercer um cargo eletivo, ainda se vê como um policial militar e, por isso, busca incansavelmente melhorias para a categoria. 

A reforma da previdência é um dos assuntos que mais preocupam o povo brasileiro, principalmente, os policiais militares que precisam ter seus direitos resguardados. Uma série de debates e audiências publicas estão sendo realizadas no País para discutir o texto apresentado pelo governo. 

Nesta sexta-feira (3), foi a vez da assembleia legislativa do Ceará debater a nova previdência. Parlamentares da bancada militar oriundos do Ceará, Bahia, Amazonas e Minas Gerais se reuniram para discutir os impactos que a nova lei pode causar aos militares. 

A audiência pública que foi requerida pelo deputado estadual Soldado Noelio (Pros-CE) contou com a participação de parlamentares da casa e de outros Estados como o deputado federal Capitao Alberto Neto (PRB-AM), Soldado Prisco (PSC-BA) e Subtenente Gonzaga (PDT-MG).  

Representando a bancada militar do Amazonas, Capitão Alberto Neto foi convidado a palestrar e defendeu os militares durante a audiência. Alberto Neto explicou aos outros parlamentares as reais condições de trabalho do policial e do bombeiro militar e disse que é por isso eles são uma categoria diferenciada com relação a aposentadoria. 

 

Para o deputado, o texto apresentado pelo governo prejudica bastante o policial e o bombeiro militar no término da carreira, já que para Alberto o militar não se aposenta, mas vai para reserva podendo ser chamado de acordo com a necessidade do Estado. 

"O texto apresentado pelo governo com relação aos militares prejudica muito a categoria. O militar vive em regime de guerra, ele não se aposenta, entra pra reserva podendo voltar a trabalhar a qualquer momento e tivemos esse exemplo aqui mesmo no Estado do Ceará", ressaltou. 

Alberto Neto relembrou quando o Governador do Ceará convocou mil e duzentos militares da reserva para reforçar a segurança no Estado no inicio deste ano. 

O deputado falou ainda sobre os direitos sociais. Ele explicou que dos 34 que existem, os militares tem direito apenas a oito. Disse ainda que o militar contribui para com a ‘Pensão Militar’ que vai para o tesouro estadual. Esta contribuição é a garantia que o militar terá uma reserva tranquila. 

Ainda durante o discurso o capitão da policia militar disse ser a favor da reforma da previdência, mas que o texto precisa ser ajustado a fim de contemplar as categorias de maneira justa, como a do policial e bombeiro militar que arriscam a própria vida em defesa da sociedade. 

 

Fotos: Divulgação

"O policial e bombeiro militar não pode ser prejudicado nessa reforma. A categoria não pode contribuir com mais do que faz atualmente, pois eles contribuem arriscando as próprias vidas todos os dias em prol do bem estar do cidadão”, disse. 

Para finalizar Alberto afirmou que continua sendo um Capitão da Policia Militar e que encara o mandato como uma missão dada em defesa da categoria e da nação. 

"Eu estou deputado federal, mas continuo sendo um policial militar, todo dia quando me olho no espelho não vejo um deputado e sim um policial militar que tem uma missão a cumprir", finalizou. 

Saiba mais

Essa é a terceira audiência publica que o deputado federal Capitao Alberto Neto participa. O parlamentar defendeu a categoria em Pernambuco e Minas Gerais. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »