28/03/2019 às 18h49min - Atualizada em 28/03/2019 às 18h49min

FVS realiza treinamento em Síndrome Respiratória Aguda Grave para profissionais de saúde da rede de Assistência Estadual

Secom
Reprodução
A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) realizou, na tarde desta quinta-feira (28/03), Atualização do Cenário Epidemiológico de Síndrome Respiratória Aguda Grave, para 105 profissionais que atuam na rede de assistência estadual.
 
Durante a apresentação dos dados epidemiológicos, a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, salientou a importância de manter o alerta para os pacientes com sinais e sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

“As coletas de amostras continuam sendo realizadas diariamente pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), e as positividades para Influenza A H1N1 e Vírus Sincicial Respiratório continuam acontecendo e são eles os responsáveis pelos óbitos registrados no Estado”, alertou a diretora.
 
Rosemary, após a explanação, pontuou com os profissionais a importância do manejo clínico oportuno. “Quando os fluxos e protocolos são seguidos, há um número menor de pacientes que agravam, por isso é essencial sensibilizar a rede para este cuidado. Isso faz muita diferença, em especial aos pacientes positivos para Vírus Sincicial Respiratório, cujo tratamento é direcionado de acordo com os sintomas”, disse.  
 
Boletim Epidemiológico - A 14ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), atualizada nesta quarta-feira (27/03), registra 863 casos notificados, sendo 119 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 163 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV).

Não houve alteração no número de óbitos, permanecendo os 31 registrados por H1N1 (24 em Manaus, três em Manacapuru, e Parintins, Itacoatiara, Japurá e Urucurituba com um caso cada). Em relação ao sincicial, continuam os 13 divulgados na última sexta-feira, 22, sendo 11 na capital e um de Borba, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3. 

 

FOTO: DIVULGAÇÃO/SUSAM
 
Campanha antecipada - A campanha de Vacinação contra a Influenza (H1N1) no Amazonas foi antecipada e está em andamento para o grupo prioritário. Os dados parciais informam que 349.273 amazonenses já compareceram as unidades de saúde para vacinar.
 
A vacina está disponível para crianças de 6 meses a menores de seis anos, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica.
 
A estimativa populacional para a campanha de vacinação contra a Influenza no Amazonas é de 1.103.723 pessoas que fazem parte do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde. A meta da campanha é vacinar, no mínimo, 90% desse público. Ao todo, são 1.535 salas de vacinação em todo o Estado. As salas estão localizadas em Unidades Básicas de Saúde da capital e do interior.
 
A diretora-presidente da FVS, Rosemary Costa Pinto, faz um pedido em especial aos pais de crianças menores de seis anos, grávidas e mulheres que tiveram bebês até 45 dias que compareçam as unidades de saúde para vacinação. "É muito importante a adesão deste grupo prioritário, pois são eles, que desenvolve formas graves da doença e alguns casos levando à morte", alertou a diretora.
 
Dia D -  O “Dia D” de vacinação contra a Influenza será 30 de março, quando acontece uma grande mobilização para a intensificação da campanha. Na ocasião, serão disponibilizados, somente na capital, pela Prefeitura de Manaus, 681 postos de vacinação em todas as zonas da cidade, com 3.040 profissionais de saúde envolvidos. No interior, a organização está a cargo dos de cada um dos 61 municípios, responsáveis pela vacinação. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »