09/07/2018 às 15h43min - Atualizada em 09/07/2018 às 15h43min

Enfermeiro Amazonense fortalece a pactuação de afeto entre pai e filho na hora do parto. Veja o vídeo

Edilson conta que o impacto na maternidade é visível e que fica feliz em ver homens renascerem ao declararem o amor aos filhos.

Filhos & tal
Reprodução
Mais que emocionar, tornar o nascimento do filho um momento sagrado, humanizado e solene também para o homem. Com esse objetivo, o enfermeiro obstétrico Edilson Albuquerque criou, há cinco anos, em Manaus, o Juramento do Pai. Um texto breve, simples e cheio de significados, proferido no instante em que o genitor corta o cordão umbilical que separa o bebê de sua mãe, para que nasça ali uma família, estreitando ainda mais os laços de amor e sangue que os unem.

Após cinco anos, a iniciativa, sem maiores pretensões, ganhou reconhecimento e destaque na mídia nacional, mas sem dúvida seu maior legado são os mais de seis mil pais que assumiram pública e solenemente o compromisso de cuidar e amar seus filhos.

No fim do no passado, Edilson Albuquerque foi convidado para falar do assunto no programa Encontro com Fátima Bernardes, na Globo, e entrou para a lista dos 68 homens que mais inspiraram em 2017. Este ano ele também vai receber uma menção honrosa na Câmara Municipal de Manaus.

 

Atualmente, o enfermeiro assume a gerência das maternidades do Amazonas, o que lhe deu a oportunidade de mostrar para outras pessoas o trabalho que até então só era visto na maternidade Ana Braga. O Juramento do Pai veio à público após o secretário de saúde do Estado, Francisco Deodato Guimarães, visitar a maternidade e ver banners com o texto na entrada do centro cirúrgico.
 

“O secretário ficou interessado e perguntou se podia divulgar a minha inciativa. A repercussão foi positiva e me levou até o Rio de Janeiro para falar no programa da Fátima, dando maior visibilidade para a Enfermagem Obstétrica no Amazonas”, fala.

Edilson conta que sempre sentiu necessidade de encontrar uma maneira para que o homem participasse do nascimento filho de forma mais ativa, estreitando e fortalecendo o vínculo entre os dois. “A tesoura para o corte do cordão umbilical já era entregue aos pais, mas eu sentia que faltava alguma coisa para aquele momento ficar completo”, explica.

Desde a faculdade, Albuquerque pensava fazer especialização em obstetrícia e teve uma professora como inspiração. Rossi Cohen ministrava as aulas falando da emoção de realizar partos e acompanhar a chegada de uma nova vida.

“Todos os alunos ficavam emocionados ao ouvirem-na falar que, na hora do nascimento, ela pedia para as mães fazerem declarações de amor aos seus filhos. Foi durante a academia que decidi fazer com que esse momento fosse cada vez mais especial para o pai também, e da família”, conta.

 
O primeiro

Foi no dia 17 de outubro de 2013, às 17h15, que Philip Matheus, na época com 18 anos, fez o primeiro Juramento do Pai, enquanto cortava o cordão umbilical da filha Heloysa Luma. Para a esposa de Philip, Latoya Kissia, o nascimento da primeira filha ganhou mais um significado. “Estava nervosa e tê-lo ao meu lado foi fundamental; vê-lo fazer o juramento para cuidar e proteger nossa filha só uniu mais a nossa família”, comenta.
 

Fotos: Reprodução

Após o nascimento de Heloysa na maternidade Ana Braga, o enfermeiro Edilson conta que a prática de fazer o Juramento do Pai foi adotada por todos os enfermeiros que assistiam aos partos, logo depois foi protocolado como rotina no momento do corte do cordão umbilical. Hoje, os genitores que assistem ao parto na maternidade Balbina Mestrinho, também fazem o Juramento do Pai.
 
Inusitados


Edilson conta que o impacto na maternidade é visível e que fica feliz em ver homens renascerem ao declararem o amor aos filhos. “Já presenciei homens pedindo perdão às mulheres, chorando que nem bebês de emoção. Fizemos um parto em que o bebê tinha duas mães e tivemos que adaptar o juramento. Também já ouvi relatos de mulheres que ganharam um marido novo após o Juramento do pai. Alguns ficam receosos no início, mas logo agradecem a oportunidade”, relata.

Nas duas maternidades onde o juramento faz parte do protocolo, os pais já chegam pedindo para fazer a declaração. O criador do Juramento do Pai informa que tem com total apoio da Secretaria de Saúde para implantar nas outras sete maternidades do Amazonas.

“O apoio tem sido fundamental para implantar boas práticas no parto, fazendo com que o nascimento seja um momento mágico para ficar guardado na memória da família’, finaliza.

 

 
Outros Estados

Pernambuco, Maceió, Recife e Roraima estão entre os Estados em que algumas maternidades já aderiram à prática do Juramento do Pai no momento do corte do cordão umbilical. Edilson fala que não vê problema nenhum em compartilhar com todas as maternidades do país, sejam elas públicas ou privadas.
 
VEJA VÍDEO


 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »