14/12/2018 às 15h39min - Atualizada em 14/12/2018 às 15h39min

Polícia Civil prende 74 pessoas pelo não pagamento de pensão alimentícia durante a operação 'Ceia Feliz' na capital

A delegada destacou, ainda, que a operação também teve natureza pedagógica...

PC-AM
PC-AM
A Polícia Civil do Amazonas divulgou na manhã desta sexta-feira (14/12), durante coletiva de imprensa realizada às 11h, no prédio da Delegacia Geral, o balanço da operação “Ceia Feliz”, iniciada na última segunda-feira (10/12), e finalizada nesta manhã, em todas as zonas de Manaus. Ao todo, 74 pessoas foram presas em cumprimento a mandados de prisão civil, por dívida de pensão alimentícia. 

Os trabalhos em torno da operação “Ceia Feliz” foram deflagrados por policiais civis lotados nos 30 Distritos Integrados de Polícia (DIPs), Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) e Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP). A coletiva de imprensa foi comandada pelo diretor do DPM da instituição, delegado Alessandro Albino, acompanhado da delegada Fernanda Antonucci, titular da DECP, e contou com as presenças dos delegados titulares das unidades policiais envolvidas na ação.

Na ocasião da coletiva, o diretor do DPM explicou que a ação teve por objetivo dar cumprimento aos mandados de prisão de natureza civil, em nome de pessoas que são devedoras de pensão alimentícia, com o intuito de não deixar assistidos os dependentes necessitados desse auxílio determinado judicialmente.

 

Delegado Alessandro Albino

“Cumprimos esses mandados de prisão civil com o objetivo de obrigar esses pais a pagarem o benefícios e também conscientizá-los sobre o não repasse do valor aos dependentes, pois, em razão do atraso desse pagamento, as crianças, na maioria das vezes, passam por dificuldades. Então, nosso intuito era exatamente esse, cumprir os mandados para tentar melhorar a qualidade de vida dessas crianças”, esclareceu o delegado Alessandro Albino.  

O diretor do DPM destacou que, ao longo da operação foram cumpridos 74 mandados de prisão civil. Dessas pessoas presas, 11 já foram soltas e outras já estão com alvará de soltura expedidos, após terem efetuado o pagamento do benefício aos dependentes. 

Ordens Judiciais – A delegada Fernanda Antonucci informou que os mandados de prisão, cumpridos ao longo da operação “Ceia Feliz”, foram selecionados pela especializada de acordo com as determinações judiciais e, ainda, com o apoio das pessoas responsáveis pelos beneficiários das pensões alimentícias que indicaram a localização dos devedores. 

 

Delegada Fernanda Antonucci

“Tivemos êxito no resultado da operação “Ceia Feliz”. Reunimos esses mandados e encaminhamos ao DPM, que distribuiu as ordens judiciais de acordo com as delegacias das respectivas áreas. Realizamos um trabalho em conjunto para o cumprimento desses mandados. A Polícia Civil não tem a intenção de prender as pessoas que devem pensão alimentícia. Nossa intenção é que sejam feitos esses pagamentos. Infelizmente, a prisão ocorre quando esses pagamentos não são realizados”, disse a titular da DECP. 

A delegada destacou, ainda, que a operação “Ceia Feliz” também teve natureza pedagógica. “É importante que aquele pai, aquela mãe, que estejam devendo os pagamentos, procurem a Justiça e o requerente do benefício para tentar um acordo e efetuar o pagamento da dívida, para não acontecer esse final triste, que é a prisão”, orientou Fernanda Antonucci. 

 

FOTOS: Lana Honorato/ Assessoria de Imprensa da Polícia Civil do Estado do Amazonas.

Trâmites - Das 74 pessoas presas durante a ação, 11 foram liberadas após o pagamento da pensão. Ao término dos procedimentos cabíveis, os outros 63 presos serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irão permanecer à disposição da Justiça. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »