06/06/2022 às 20h55min - Atualizada em 06/06/2022 às 20h55min

Prefeitura de Manaus alerta que beneficiários do Auxílio Brasil têm até o final de junho para atualizar dados

Os beneficiários do Auxílio Brasil devem buscar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa

Victor Cruz / Semsa
Semcom
Foto - Camila Batista / Semsa
Prefeitura de Manaus alerta que as famílias beneficiárias do Auxílio Brasil, programa que substituiu o Bolsa Família, têm até o dia 30 de junho para atualizar o acompanhamento nas unidades da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Dos 237.140 beneficiários esperados, apenas 39.467 compareceram, ou seja, cerca de 16%.
 
Os beneficiários do Auxílio Brasil devem buscar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa para realizar o acompanhamento com uma equipe multidisciplinar, formada por enfermeiros, médicos e assistentes sociais. A lista com os endereços das unidades pode ser conferida no site da Semsa, por meio do link: https://semsa.manaus.am.gov.br/localizacao-das-unidades-de-saude/.
 
A coordenadora das ações de Saúde Nutricional da Semsa, Lia Ferreira, explica que o público esperado são crianças menores de 7 anos (75.868) e mulheres de 14 a 44 anos (161.272). Ela aponta que o programa, coordenado pelo governo federal, exige dois acompanhamentos ao ano, de janeiro a junho e de julho a dezembro.
 
“O beneficiário é notificado para atualizar suas consultas médicas quando fica um semestre sem comparecer. Quando a pendência é acumulada em dois semestres, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc) identifica esse usuário através do CadÚnico e inicia uma busca ativa para entender por que ele deixou de cumprir esse requisito”, conta.
 
De acordo com Lia, os usuários com acompanhamento pendente são considerados em altíssima situação de vulnerabilidade social, e se a ausência não for devidamente justificada, o benefício poderá ser suspenso, conforme prevê as diretrizes do Auxílio Brasil.
 
Consultas
 
No dia 25 de abril, conforme dados da Semsa, 4.723 crianças foram levadas para o acompanhamento médico, número que subiu para 8.973 quase um mês depois, em 23 de maio. Em relação às mulheres, 20.141 estavam com a situação em dia no final de abril, e mais 10.353 buscaram o serviço até final de maio.
 
Segundo Lia Ferreira, a procura ainda está baixa, e os números preocupam ainda mais devido à proximidade do término da primeira etapa anual, previsto para 30/6. A Semsa estima que 66.895 crianças estão com cadastro pendente, além de 130.778 mulheres.
 
“Ainda temos algumas semanas antes do fechamento deste ciclo, e reforço a convocação para que os beneficiários procurem a atualização, não só para manter o benefício, mas para preservar a sua saúde e verificar se seu desenvolvimento está em conformidade com o esperado”, afirma.
 
A coordenadora explica ainda que muitas pessoas deixaram de atualizar o acompanhamento por conta da pandemia, quando o procedimento deixou de ser obrigatório. Porém, ele voltou a ser exigido a partir do segundo semestre de 2021.
 
“Na hora da consulta, o profissional verifica se a vacinação da criança está em dia, além do peso e altura, para saber se ela está com algum risco nutricional, como baixo peso ou sobrepeso, para adotar as providências necessárias. Já para as mulheres, é preciso avaliar peso e altura, e se elas estão com pré-natal em dia, no caso de gestantes”, acrescenta.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »