17/05/2022 às 21h58min - Atualizada em 17/05/2022 às 21h58min

Edenilson brilha, protesta contra racismo e lidera vitória do Inter contra o Independiente Medellín

Volante lava a alma e ergue o punho em comemoração

GE
A única tempestade que passou pelo Beira-Rio na noite desta terça-feira foi presenciada por pouco mais de 4 mil pessoas e varreu - ainda que por 90 minutos - uma das piores chagas que o Brasil carrega após 500 anos.

Três dias após denunciar que o lateral-direito do Corinthians, Rafael Ramos, o chamou de "macaco" durante o empate entre o time paulista e o Inter pelo Brasileirão, Edenilson ergueu o punho contra a discriminação, marcou os gols da vitória colorada por 2 a 0 sobre o Independiente Medellín, pela 5ª rodada da Copa Sul-Americana, e aqueceu a noite dos poucos torcedores que desafiaram a tempestade subtropical que assola o Rio Grande do Sul.



Punho erguido pela igualdade

Os deuses do futebol sabem o que fazem. Depois de denunciar uma suposta injúria racial sofrida no último sábado, também no Beira-Rio, Edenilson tratou de escrever novas linhas na história do futebol.

Ele acusa o lateral-direito Rafael Ramos, do Corinthians, de chamá-lo de "macaco" no confronto entre as equipes no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro.

O jogador português, que nega a atitude, chegou a ser preso e liberado após pagamento de fiança.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »