09/09/2021 às 08h00min - Atualizada em 09/09/2021 às 08h00min

Caminhoneiros fazem manifestação em Brasília e em mais 16 estados

PORTAL DO SENA - Informando com credibilidade

R7
Foto: Reprodução
Caminhoneiros que apoiam o presidente Jair Bolsonaro fizeram manifestações em Brasília e em, ao menos, 16 estados nesta quarta-feira (8). Na capital federal, eles fecharam a BR-040 no sentido Plano Piloto, no fim da tarde e início da noite, e pretendem bloquear a via que deixa a capital federal rumo a Luziânia (GO) na manhã desta quinta (9) quando, acreditam, o movimento terá ganhado força. A intenção do grupo é impedir a chegada de cargas ao Distrito Federal. 

Um dos representantes do grupo, o caminhoneiro Wallison André Martins da Silva, afirmou ao R7 que o grupo reivindica a renúncia dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e a aprovação do voto impresso pelo Senado, pautas das manifestações antidemocráticas de 7 de setembro, e a redução do valor do combustível na bomba. “Já está parado Cristalina (GO), Unaí (MG) e Paracatu (MG). O voto impresso e a renúncia dos ministros são o mais importante”, disse.

O grupo está pedindo para os caminhões encostarem. Carros de passeio podem passar. De acordo com Wallison, o movimento tem fôlego para fechar a rodovia por vários dias, se for preciso. “Por enquanto, estamos fechando no sentido Luziânia-Valparaíso, vindo para o DF, para não ir carga para o DF. A intenção é não ir nada para Brasília. Amanhã, fechamos no outro sentido. Ficaremos até os ministros saírem e os senadores votarem a lei do voto impresso”, reforçou.

Questionado sobre o que pode acontecer caso os senadores não pautem o tema, o representante disse que os manifestantes não vão desistir. “Vamos continuar e não temos a intenção de reabrir”, garantiu. Ele também negou que estejam ocorrendo movimentos contrários. “Não tem movimento contrário. É a pauta do agronegócio. A gente roda pelo agro. Somos caminhoneiros autônomos e queremos o apoio da população para ajudar a gente em relação a essas pautas”, afirmou. O bloqueio na BR-040 permaneceu até por volta de 20h30.

Áudio de Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro enviou um áudio no final da noite desta quarta-feira (8) por meio do qual amenizou o discurso e fez um apelo para que não a categoria não pare o país.

"Fala para os caminhoneiros aí que são nossos aliados, mas esses bloqueios atrapalham a nossa economia e isso provoca desabastecimento, inflação, prejudica todo mundo e, em especial aí, os mais pobres. Então, dá um toque aí nos caras, se for possível, e vamos liberar, tá ok? Para a gente seguir com a normalidade. Deixa com a gente em Brasília agora. Não é fácil negociar, conversar, por aqui com outras autoridades, mas a gente vai fazer a nossa parte e buscar uma solução, tá ok? E em meu nome dar um abraço a todos os caminhoneiros aí", disse Bolsonaro na mensagem.

Após a divulgação do apelo de Bolsonaro aos caminhoneiros, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, divulgou um vídeo, às 22h30, atestando a veracidade do áudio. Ele disse que há questionamentos entre caminhoneiros se o áudio é real e se é uma gravação atual.

Antes da gravação, o presidente já havia falado a apoiadores que faria o apelo aos caminhoneiros para que não parassem o país: "Isso não interessa a ninguém".

Paralisação nos estados

Segundo informações do Ministério da Infraestrutura, 16 unidades da Federação tiveram registros de protestos de caminhoneiros com bloqueios pontuais ao tráfego em estradas federais. Em outros dois, os bloqueios não tinham relação com transporte de cargas.  

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, ao todo, já foram debeladas 117 ocorrências com concentração de populares e tentativas de bloqueio total ou parcial de rodovias durante as últimas horas, havendo pontos de concentração em rodovias federais em 16 estados, sendo 13 com abordagem a veículos de cargas.

O boletim do Ministério da Infraestrutura informou que houve manifestações em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia. Maranhão, Roraima, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Pará. O boletim - divulgado às 22h30 desta quarta-feira - informa ainda que os "dois pontos de bloqueio total registrados no Rio Grande do Sul foram liberados, restando apenas aglomeração no local. A região Sul concentra neste momento 55% das ocorrências registradas". Ainda segundo o boletim, "apenas uma interdição de pista foi notificada, no estado de São Paulo".

Mais cedo, a PRF informou que havia ocorrências no Rio de Janeiro, em Mato Grosso, em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul, no Espírito Santo, no Paraná e na Bahia.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »