13/06/2021 às 16h39min - Atualizada em 13/06/2021 às 16h39min

Mulher é mantida em cárcere privado, torturada e tem cabeça raspada

PORTAL DO SENA - Informando com credibilidade

Metrópoles
Foto: Reprodução
Uma mulher, de 29 anos, foi mantida em cárcere privado, torturada e teve a cabeça raspada em Sarandi, no Jardim Verão, no Paraná.

Mais cedo, em outro endereço, o marido dela, um homem de 27 anos, foi esfaqueado e socorrido com ferimentos moderados, sem risco de morte.

A suspeita é de acerto de contas por drogas, segundo informações da Polícia Civil de Sarandi.

Após ser esfaqueado, o homem foi levado para uma unidade de saúde.

No local, em conversa com o investigador, revelou o nome de um dos autores das facadas e disse que sua companheira estaria sendo mantida em cárcere privado, segundo informações do delegado da Polícia Civil de Sarandi, Adriano Garcia.

Após ser esfaqueado, o homem foi levado para uma unidade de saúde. No local, em conversa com o investigador, revelou o nome de um dos autores das facadas e disse que sua companheira estaria sendo mantida em cárcere privado, segundo informações do delegado da Polícia Civil de Sarandi, Adriano Garcia.

Os policiais e guardas municipais foram até a residência do suspeito e encontraram a esposa do homem que foi esfaqueado.

“A esposa da vítima esfaqueada foi salva pelos agentes. Ela teve os cabelos raspados, foi torturada, agredida física e psicologicamente. Estava bastante assustada e disse que os criminosos subtraíram R$ 1 mil dela. Disse também que seria morta, não fosse a ação dos agentes”, relatou o delegado.

Na residência, as equipes verificaram que funcionava uma boca de fumo. Foram apreendidos quase um quilo de maconha, 160 gramas de crack, R$ 72 em dinheiro, duas balanças de precisão e um caderno de contabilidade.

Oito pessoas foram encaminhadas à delegacia da Polícia Civil de Sarandi, sendo que quatro delas permaneceram presas – todas com envolvimento no tráfico de drogas, sequestro, tentativa de homicídio e tortura à mulher.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »