07/04/2021 às 18h51min - Atualizada em 07/04/2021 às 18h51min

​Covid-19: Capitão Alberto Neto defende vacinação e planejamento para enfrentar terceira onda da doença no Estado

PORTAL DO SENA - Informando com credibilidade

Assessoria
Com a previsão de uma possível terceira onda de Covid-19 para os meses de maio e junho e, posteriormente, em todo Brasil, o deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos) questionou ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, quais ações o Governo Federal está tomando para obrigar os estados a aplicar as doses de vacina que já foram distribuídas. 

"A única forma de vencermos essa pandemia é por meio da vacinação. O MS já entregou 34 milhões de doses, mas somente 18 milhões foram aplicadas. Precisamos saber o que está acontecendo com esse déficit de 14 milhões de doses que estão nos estados, mas ainda não foram aplicadas na nossa população", ressaltou. 

O parlamentar está preocupado com o ritmo lento de aplicação do imunizante em todo País. Entre eles, está o Amazonas, que ocupava o topo da lista, mas vem despencando no índice, oscilando entre a 6ª e a 3ª posição. O Estado foi um dos primeiros a iniciar a vacinação, tendo recebido doses extras, como forma de combater a segunda onda da doença. 

"A disseminação do vírus continuou acelerada, vimos o país entrar numa situação muito difícil por conta da lotação nas unidades de saúde. Nossa salvação de uma possível terceira onda é a vacinação, precisamos garantir que o maior número de pessoas receba suas doses com mais rapidez", explicou o deputado. 

Alberto Neto repercutiu a fala do presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, sobre o diferencial entre a quantidade de doses distribuídas pelo Ministério da Saúde e o número de efetivo de doses aplicadas pelas secretarias de saúde em todo Brasil. 

Vacinação - O Amazonas recebeu 1.178.220 doses de vacinas em 11 remessas entregues pelo Ministério da Saúde. Destas, 587.184 doses foram aplicadas, sendo 445.184 (60,4%) pessoas receberam a primeira dose e 141.992 (19,4%) receberam a segunda dose, conforme informações do Governo do Amazonas. 

Usinas de Oxigênio - Alberto Neto enviou ao governador do Amazonas, Wilson Lima, um documento no qual pede a instalação imediata de usinas de oxigênio nos municípios ainda não contemplados. "Precisamos alcançar essa meta para que nenhuma vida se perca por falta de oxigênio novamente, as famílias amazonenses não podem viver aquele terror novamente", disse. 

A medida visa antecipar a produção necessária de oxigênio medicinal para uma possível terceira onda de Covid-19. No mês de janeiro, quando o estado viveu uma situação de calamidade por conta da falta de oxigênio, a demanda alcançou 80m³ por dia.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »