13/02/2021 às 15h41min - Atualizada em 13/02/2021 às 15h41min

Investigados por suspeita de furar fila na vacinação são exonerados em Manaus

PORTAL DO SENA - Informando com credibilidade

G1
Foto: Reprodução
Sete dos dez médicos citados em investigação do Ministério Público do Amazonas sobre "fura-filas" na vacinação contra a Covid-19 em Manaus foram exonerados pela Prefeitura da capital nessa sexta-feira (12). Entre os nomes, estão das gêmeas Isabelle e Gabrielle Kirk Maddy Lins. As duas receberam a primeira dose da vacina no dia 19 de janeiro - mesmo dia em que uma delas foi contratada. A outra foi efetivada no cargo dia 18, um dia antes.

O caso ganhou repercussão após as médicas postarem a imunização nas redes sociais. A família das médicas é dona de hospitais e universidades particulares em Manaus, entre outros negócios. Além das duas, a lista de investigados traz, ainda, os nomes de outros oito médicos, dentre eles, o filho do suplente de deputado estadual Wanderley Dallas, David Louis Dallas.

Na quarta-feira (10), as gêmeas Lins e David Dallas receberam a segunda dose do imunizante. O Ministério Público Federal (MPF) informou que, a princípio, não há ilegalidade dos profissionais terem recebido a segunda dose, já que eles atuam no atendimento a pacientes com Covid-19.

Por meio de nota, as médicas afirmam que elas optaram pelo pedido de exoneração do cargo.


"A situação infelizmente ficou insustentável a partir do momento em que se passou a questionar a forma escolhida pela Prefeitura para a contratação dos mesmos, gerando um enorme mal-estar e comprometendo o ambiente de trabalho", diz um trecho da nota.

Sobre a segunda dose da vacina, Gabrielle e Isabelle afirmam que são médicas atuantes na linha de frente do combate ao coronavírus e que foram notificadas através do Portal da Prefeitura para receber a segunda dose, tendo comparecido no local e horário pré determinados pelo governo.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »